geral@igrejalighthouse.com

Considero o estudo das dispensações um estudo perigoso, porque tem gerado um transtorno no evangelho de Cristo, dando à luz múltiplos evangelhos, no mínimo conheço três. 

Eu acredito veemente, que o evangelho de Cristo é só um e que desde a fundação do mundo tem vindo a ser pregado e continuará a ser pregado até ao fim dos tempos. O que pode mudar é o nosso conhecimento sobre o mesmo, vou dar um exemplo; uma mulher grávida faz várias ecografias e em todas as ecografias surgem novas informações sobre o estado do seu bebé, o bebé é o mesmo, as informações vão sendo reveladas, o conhecimento sobre o estado do bebé é cada vez mais especifico e claro. O mesmo acontece com o evangelho, ao longo dos tempos, a revelação sobre o evangelho foi ficando mais clara, até que o próprio evangelho encarnou em Jesus Cristo. Jesus Cristo é o evangelho, é a palavra viva de Deus, que andou no nosso meio e clarificou a mensagem. Hoje não precisamos mais de acrescentar novas informações sobre o evangelho, porque as escrituras sagradas já o dizem, quer no VT, quer no NT: “Maldito o homem que acrescenta ou retira um til à palavra de Deus”. 

Eu sou homem, mas tenho de dar a mão à palmatória. Há uma grande crise nos homens e de homens. Esta crise, é uma crise que tem vindo acentuar-se, mas que já vem de longa data. Há medida que o papel do homem tem vindo a degradar, a família e não só, tem vindo a degradar também. 

O homem é diferente da mulher, não é melhor nem pior, tem é um papel diferente que Deus lhe atribuiu. Não faço parte de nenhum movimento machista, mas o homem tem perdido o seu brilho, de se assumir como um verdadeiro homem à luz do evangelho de Cristo. 

Deus criou princípios que quando alterados, por nós, criam graves problemas. Deus criou o homem para ser o líder da família, para dominar, não do modo como alguns poderão estar a pensar, mas do modo como Deus decidiu que deveria ser. Gosto da expressão de Deus: “Macho e Fêmea os criou...”. O homem tem de ser macho e a mulher fêmea. Quando assim falamos, os movimentos feministas se levantam contra, eu até entendo, porque de facto a expressão macho e fêmea têm sido mal interpretado por todos nós, daí que, volto a dizer estamos em crise nos homens e de homens.

Nós, cristãos, andamos ávidos por querer ver o mundo da política e o mundo artístico convertido ao cristianismo, "queremos influenciar o mundo".

Os políticos do mundo ocidental já perceberam o nosso alvo e subtilmente o usam, para promoção e eleição a presidentes ou a primeiros-ministros. Existem empresas especializadas na análise de comportamentos, usando a tecnologia e as redes sociais, países como os EUA e o Brasil têm sido alvos de estudo por parte dessas empresas, geridas pelo verdadeiro poder oculto, que sempre reconheceram a importância dos cristãos, mas mais ainda agora, reconhecem a importância dos cristãos evangélicos. 

Fenómenos recentes como o do presidente Trump, o Bolsonaro e também na Europa com o caso da Itália, são fruto de um trabalho ideológico em curso, e muitos cristãos não estão a reconhecer isso, e olham para a montanha pelo lado errado. 

A religião, (cristãos, hindus, ortodoxos, muçulmanos, budistas, o judaísmo, etc), está a ganhar uma nova força, o ecumenismo é o lema, a aceitação da diferença. 

O cristianismo é o que está mais dividido, para além do tradicional católico Romano, encontramos os ortodoxos, os anglicanos e os chamados evangélicos, onde se incluiu os ditos "tradicionais" e os "carismáticos", nestes ultimas décadas, um especial crescimento dos carismáticos, da linha pentecostal e neo-pentecostal. 

O interessante disto tudo, é que Jesus Cristo, nunca quis formar nenhuma linha, ele trouxe o poderoso e simples evangelho, a sua doutrina é clara e simples, mas o homem transtornou o evangelho. O apostolo Paulo foi claro na sua carta aos Gálatas, quando diz: “Maravilho-me de que, tão depressa, passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo, para outro evangelho” (Gál.1:6).

Recentemente o mundo assistiu a mais um tsunami na Indonésia, onde milhares de pessoas morreram. O Tsunami é fruto de algo, que faz dele uma destruição silenciosa e devastadora. É o resultado de abalos sísmicos que ocorrem do fundo do mar ou perto do oceano, que geram uma grande perturbação na agua e que formam ondas com mais de 30 metros de altura. As ondas do tsunami viajam ao longo do oceano, e em alto mar são praticamente imperceptíveis, porém quando elas se aproximam da terra, provocam atrito com o fundo, fazendo com que o tamanho da onda aumente muito e destrua tudo que está ao redor. Após os abalos sísmicos, o tempo de gerar um Tsunami e de chegar à costa, dependendo das distâncias onde o abalo é gerado, pode levar entre 1 a 3 horas. Assim sendo, após os abalos sísmicos, existe um período de algumas horas que dá a sensação de uma paz, até que a destruição chega.