geral@igrejalighthouse.com

O que o Evangelho, que significa BOA NOVA, pode trazer de boa notícia para a nossa existência?

É verdade que quando as pessoas ouvem falar de Evangelho, elas associam logo isso a religião, aos templos, aos sacerdotes, aos pastores, as hierarquias, ao clero, as doutrinas, as trocas espirituais oferecidas em nome de Jesus, os sistemas, as mecânicas, os negócios com Deus, o toma lá dá cá (tens de fazer a tua parte) que supostamente essa falsa divindade propõe às pessoas.

É isso que as pessoas associam ao termo Evangelho. Mas o Evangelho não tem nada a ver com isso. Isso é um grande estelionato, talvez o maior estelionato da história da civilização humana.

É o que o cristianismo fez contra o Evangelho, que foi se apropriar dos termos, das nomenclaturas, de um monte de coisas, e usar essa terminologia para construir uma coisa que usa o nome de Jesus, mas não tem nada a ver com Jesus nem com o Evangelho, ao contrário, nega o Espírito do Evangelho, nega a mensagem de Jesus.

Alguém poderá dizer: "Mas como pode negar a mensagem de Jesus se fala-se de Jesus o dia inteiro no meio chamado cristão."

Ora, preste bem atenção, é simples, o meu nome é José Fidalgo, mas eu não sou o meu nome. O meu nome não significa nada, a não ser que se esteja a falar de mim. Do contrário é apenas uma conjunção de letras, J O S É  F I D A L G O, e nada mais.

Mas para se estar a falar de mim, você não pode apenas usar esse nome, você tem de descrever uma pessoa, você tem de ser coerente com quem eu sou para si e pregar esse nome em mim com algum sentido.

Do contrário você estará apenas ser um falso, um estelionatário, um grande farsante, utiliza-se de um nome para gerar uma infâmia, para gerar uma difamação, usa o nome da pessoa e constrói um outro carácter, dizendo que aquela é a pessoa.

Pois foi isso que fizeram com Jesus.

E esse é o grande estelionato.

Fala-se no nome de Jesus o dia inteiro, mas não se descreve Jesus nunca. Nunca se apresenta Jesus às pessoas, só se fala no nome dele, a ponto que ele próprio dizer: “este povo, honra-me com os lábios, mas seu coração anda muito longe de mim”.

Existem pessoas, em grande quantidade, que passam quase todos os dias de joelhos diante desse NOME, Jesus, mas não diante da PESSOA de Jesus. Passam a vida inteira fazendo todas as suas apostas de crenças nesse nome, Jesus, mas não sabem quem é a PESSOA que supostamente está por trás do nome, ou então, tem uma ideia equivocada de quem seja a pessoa.

Vemos Jesus a ser vendido por aí.

Um Jesus que diz para o indivíduo que se ele for a um determinado lugar e não der todo o dinheiro que tiver no bolso ele não está dando uma demonstração de fé.

Esse Jesus que diz que ele somente tem acesso a qualquer graça divina se der provas antecipadas e cabais, de preferência materiais (dinheiro) acerca do seu interesse do que esteja a buscar e a pedir a Deus.

Esse Jesus não é JESUS.

Por uma única razão, toco nesse assunto, há muito tempo, estou cada vez mais convencido, que o CRISTIANISMO, de fato é o pior inimigo que o EVANGELHO já teve.

Talvez você fique chocado:

"Mas, como? Todo mundo fala bem de Jesus no cristianismo."

Fala bem do nome de Jesus, mas acabaram com JESUS. Destruíram JESUS, criaram um Jesus de ídolo, uma construção de conveniências, uma construção humana.

Esse Jesus, que se prega por aí, já foi reciclado em todas as partes, países e sistemas económicos.

E como, então, aniquilarmos de nós todo o mal que o Cristianismo instaurou?

Como retirarmos de nós os hábitos que destroem mais e mais a Jesus e, consequentemente, o seu Real Evangelho?

Esse é o grande desafio de todos o que querem levar o evangelho a sério. Oro a Deus para uma nova geração sem vícios!

 

José Fidalgo.

Texto escrito com o apoio de material de estudo de Caio Fábio.