geral@igrejalighthouse.com

Tenho dúvidas que este povo esteja “salvo”!

Ouvimos falar de percentuais de evangélicos, por exemplo, em Portugal fala-se de 0.5% da população, no Brasil fala-se, entre 30% a 40% da população, há até casos, como em algumas cidades Brasileiras que chegam aos 70% dos habitantes, para a realidade Brasileira um número muito grande. Também, países como EUA, Austrália e Coreia do Sul, fala-se de percentuais grandes.

No meu ponto de vista e ao ler o Evangelho, verifico que o percentual diz muito pouco, apenas nos mostra o número de pessoas que professam ser evangélicos. Dizer: "ser evangélico" não significa que o Evangelho de Cristo tenha tido alguma acção de mudança na vida da pessoa. O Evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo o homem e isso tem de ser visível, não na quantidade, mas na qualidade e acima de tudo, na mudança que o Evangelho promete provocar no(s) individuo(s) que o ouvem e crêem. Quando maior for o número de indivíduos, maior terá que ser a mudança na sociedade em que estamos inseridos! Ora não é nada disso que verifico. Pelo o fruto se conhece a árvore.

As igrejas, no modo geral, tornaram-se profissionais em criar ambientes, produções de boa música, com som, luz e fumos, o rótulo e o chamariz está cada vez melhor, mas o conteúdo é péssimo. Porquê que o afirmo? Porque o fruto não é bom. Muitas estatísticas, muitos números, igrejas monstruosas em tamanho, mas o conteúdo, o que de facto é o poder de Deus para a salvação de todo o homem (Evangelho) é péssimo, aguado e em muitos casos falsificado.

Os tempos mudam, os hábitos e até as culturas podem mudar, mas o Evangelho de Cristo, a mensagem do nosso Senhor não pode mudar. O conteúdo tem de ser imaculado!

Vejo uma igreja que facilitou e aguou o conteúdo para atrair pessoas e aumentar estatísticas, mas o povo está longe de viver o Evangelho! Tenho dúvidas que este povo esteja salvo! E nós, pregadores e pastores, somos os primeiros que precisamos de voltar a ouvir o Evangelho e crer nele. Pois daremos contas a Deus pelo que andamos a fazer!