geral@igrejalighthouse.com

Este texto cita alguns sinais de alerta, de como uma igreja que começa bem, torna-se numa seita ou, usando uma palavra mais moderna, uma “tribo”.

Talvez alguém possa pensar: “que declaração forte.”

Outros poderão pensar: “Lá vem mais um lavar de roupa suja, cuspir no prato que comeu, devemos deixar para Deus julgar, vamos falar de coisas boas...”

O politicamente correcto é concordar com o pecado. “Os quais, conhecendo a justiça de Deus, que são dignos de morte os que tais coisas praticam não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.” (Rom.1:32). 

Jesus quando andou por cá, ele não foi “politicamente correcto”, ele tocou com o dedo na ferida dos doutores da lei, dos Fariseus e dos Saduceus que contaminavam o coração do povo. O Evangelho detesta injustiças, mas ama a justiça e a verdade, não podemos defender a justiça e a verdade calados, impávidos e serenos. Tudo de bom que a sociedade conquistou, custou sangue e suor, assim sendo, discordo com alguns colegas meus, que escolhem estar calados, serenos e só falar de coisas boas, dos versículos cor de rosa. 

O conselho de Gamaliel tem sido muito mal interpretado, este conselho vem descrito em Actos 5:32-40, quando a certa altura ele diz: “ Se esta obra é de homens, se desfará, mas se é de Deus, não podereis desfazê-la...”

É desta frase que as seitas se alimentam, para se justificarem diante da tribo. Temos que entender que este conselho é circunstancial, Deus usou esta frase para que os discípulos do Senhor não fossem presos. Esta frase não é doutrina de Jesus Cristo, pois se assim fosse, então o Budismo, o Hinduísmo, a Bruxaria e até o próprio diabo já tinham-se desfeito. 

Jesus nos ensina a olhar para o fruto e não para a obra de alguém, se cai ou não, se é muito rica ou muito pobre, se tem muitas pessoas ou poucas, se começou e durou pouco, ou ainda dura. Jesus foi claro, “Muitos me dirão...” / “ Pelos seus frutos os conhecereis...” (Mateus 7:15-24) 

Em outras passagens, Jesus cita por exemplo o caso de Galileus que morreram nas mãos de Pilatos e outros que morreram com a queda da torre de Siloé. Logo vem alguém com ar espiritual dizer: “morreram porque eram pecadores, estavam mal, não tinham fé, só mostra que não eram de Deus, porque morreram cedo demais”.  E Jesus respondeu-lhes: “...se vós não arrependerdes, todos de igual modo perecereis. (Lucas 13:1-5

Segue alguns sinais de alerta:

1º O líder que quer mudar de nome próprio ou de título eclesiástico.

Quando alguém começa a incutir a necessidade de deixar de se chamar pelo seu nome de nascença e deseja mudar de nome, ou alguém que deseja ser apostolo, profeta, pai espiritual e muda...é um sinal perigoso. Justifica-se que a unção é maior, pois Deus lhe deu uma grande responsabilidade, etc.

Eu, pessoalmente, conheço dezenas deles que o fizeram nestes últimos anos, certa vez, numa sala de hotel e disse: “Hoje passo a ser apostolo e vocês bispos”, fomos todos promovidos em 2 minutos!  Tudo começa ao poucos, vai dizendo que vários colegas de outros ministérios dizem que: "Deves ser apostolo, na verdade és um apostolo, pois olha o número de igrejas que tens". Aos poucos a pessoa não resiste. Hoje está na moda, até mulheres "apostolas" já existem. A pessoa tem meia dúzia de igrejas ou basta ter duas, já é motivo para ser promovido. Isto é sinal de que o coração da pessoa não está resolvido, a necessidade de reconhecimento e o espírito narcisista podem ser a causa do inicio de uma seita. 

2º O líder e a igreja, assumem-se como uma tribo e uma chamada muito especial;  principalmente para conquistar o mundo para Jesus ou outra coisa qualquer, tem uma profecia ou uma visão dada por alguém ou um versículo bíblico que o legitima...principalmente aquelas passagens que dizem: “Eu te elevarei acima de ....” ou “Te chamei para as nações e todos se encurvarão a ti”...eu chamo a isso “Surto de José do Egipto” ou “Surto de Moisés, o libertador do povo, o homem de Deus”. O interessante é que esse líder é visto sempre como o líder de algo ou de muitos. O manto da unção está sobre ele, é o pai espiritual, é o meu “apostolo”. Quando virmos isto, sabei que é um sinal muito forte desta igreja se tornar uma seita. 

3º Exaltação do líder e do nome da igreja pelo povo. Quando as pessoas começam a falar mais do líder e do nome da igreja nas pregações, é sinal de que a igreja já está contaminada pelo espírito de seita. Exemplos: “Venha receber a unção do homem de Deus”, “Venha à igreja XPTO, pois nela encontra a solução para os teus problemas”. Todas as músicas exaltam o ministério, o líder é exaltado mais do que a Cristo, enfim, está tudo dito. 

4º Separatismo e Isolamento. O Líder exorta as pessoas a não ouvirem pregações e a não lerem livros de outros autores, apenas as pregações e livros dele. O líder isola-se e isola o povo, dando a ideia, de que não precisamos de ninguém, somos o máximo, esta igreja é top, somos mais que vencedores, somos conquistadores, não precisamos de ninguém. Todos os que já saíram são rebeldes, desobedientes ou então caíram na desgraça do roubo, mulheres, orgulho, porque se achavam que podiam fazer tudo sem o apostolo e a glória de Deus que está no ministério. O líder encoraja a não se falar com pessoas assim, isolar-se, e aos que ainda estão e querem sair, ameaça-se com vídeos para que o medo domine. 

5º Dividir para reinar. O líder cria um espírito de competição entre os seus liderados. São os  alvos e mais alvos, visão e mais visão, quem atingir alvos é competente, tem fé, é top e os outros que não consegue, não têm fé, são uns palermas, incompetentes, troglodita. O veneno nas mensagens e das exortações vais passando, e assim, o povo compete entre eles, em busca de alvos atingidos e de prémios tais como: títulos, carros, casas, salários bons, viagens, etc. 

6º Doutrina da Prosperidade. O líder opta por não se pregar o Evangelho, temos uma estrutura para pagar, por isso temos que dar força na área financeira:  prega-se sucesso, riqueza, horas e horas sobre dinheiro, tudo o que se vê na bíblia é o dinheiro, ou então são as curas, as libertações, marketing constante, como se Jesus fosse um produto, inventa-se testemunhos, são sempre os mesmos. Todo este frenesim leva as pessoas na busca do "el dourado". Toda a comunicação está baseada na busca de bens, e para legitimar, o líder e a igreja está cheia de bens: aviões, carros e moradias de luxo, tudo em nome de Deus, porque Deus nos quer ricos. 

E muito mais se podia dizer, alguns pensam: "ele está a falar da tal igreja de onde saiu". Era bom se fosse só uma, mas é prática em vários lugares no mundo. Porque é que viraram seitas? Porque uma seita prega heresias. Lamento ao que assisto, lamento muito. Porque é que escrevo assim? Porque quase todos os dias, pessoas fantásticas vêem todas partidas desses lugares, secos, completamente sugados, alguns deprimidos, traumatizados. Não falo de um ou dois, falo de centenas e centenas de pessoas. O Fruto não é bom! Não tem nada a ver se cai ou se mantém. Alguns dizem: “Se não caiu é porque é de Deus”. Quem assim pensa, não conhece o Evangelho!

Alguns começam bem, foram maravilhosamente ajudados!

Mateus 7:15-24