geral@igrejalighthouse.com
Há situações que surgem e que acontecem na nossa vida sem justificação aparente. Ficamos a pensar “Porque é que isto aconteceu?”, pois acreditamos numa justiça mundana: coisas boas devem acontecer a pessoas boas; e coisas más a pessoas más. Deparamo-nos, igualmente, com a questão “Será que isto veio de Deus ou do diabo?” , de forma a nos confortarmos com algum tipo de resposta, justificando, assim, a situação em que nos encontramos.

Mas, de facto, estas duas perguntas são atormentadoras e roubam-nos, muitas vezes, a paz. Estar constantemente a questioná-las na nossa mente leva a que procuremos justificações e razões onde muitas vezes elas não estão, simplesmente para nos acalmar a alma. Porém, se essa “paz” vier, será temporária, pois encontramos justificações sem fundamento.

A verdadeira paz vem quando cremos naquilo que o Apóstolo Paulo diz em Romanos 8:28: “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto”. Se verdadeiramente cremos num Deus que converte todo o bem em mal (Génesis 50: 20), que não desperdiça qualquer batalha que possamos estar a passar na vida, não precisamos de nos questionar sobre o que está a acontecer. É natural que, como seres humanos, nos questionemos e que até fiquemos chateados com Deus, por momentos. No entanto, não devemos deixar a limitação da nossa mente fechar os nossos olhos da fé, confiando que Deus é grande e poderoso para utilizar tudo o que nos acontece para o nosso bem.

Quanto à questão “Será de Deus ou do diabo?”, pensemos também da mesma forma: Deus irá converter o mal em bem. Em vez de vivermos em dúvida, procurando o autor da nossa situação, procuremos viver em revelação. O que isto quer dizer? Quer dizer que, ao acreditar neste Deus poderoso descrito em Romanos 8:28, terei a revelação, com o passar do tempo, que tudo cooperou para o meu bem, mesmo duvidando na altura em que a situação surgiu.

Desta forma, convido a todos os leitores deste texto a confiar em Deus. Se realmente acreditamos em Deus, confiemos que tudo contribuirá para o nosso bem.

Nota: ler a história de José, descrita em Génesis 37 a 50. Uma ilustração brilhante daquilo que abordei no texto.

Salomé Fidalgo

13/08/2020