geral@igrejalighthouse.com

Acordei com esta gratidão no coração, como alguém a quem tudo corre bem; como se o mar não se agitasse, por vezes, em demasia; como se não existissem dias chuvosos; como se todos os jardins por onde eu passasse não ficassem, por vezes, despidos nem espinhosos…

Esta gratidão invade-me o coração, como se o lugar onde estou (seja qual for) fosse o melhor lugar para estar. É uma gratidão que se origina na paz, amor e alegria, não vindos do exterior ou das circunstâncias, mas plantados no meu coração.

Poderão perguntar se não vivi momentos difíceis e mesmo tortuosos, alguns confusos, doridos e duvidosos…momentos de sofrimento, tristeza, pesar e dor…? Sim, vivi. E os que me estiveram mais próximos, testemunharam e confirmam a minha afirmação. Mas o que são esses momentos, quando olhamos para as vivências de Jesus?

 Vejamos:

Quem já leu na Bíblia acerca dos milagres que Deus fez, não sabe a qual chamar o maior.

Desde o Velho Testamento, onde assistimos  a milagres como a abertura do Mar Vermelho (Êxodo 14), a transformação de varas em serpentes (Êxodo 7),  a ressurreição do filho da mulher sunamita (II Reis 4), e também do filho da viúva de Sarepta (I Reis 17: 17-24), a alimentação de três pessoas, por muitos dias, apenas com um punhado de farinha e um pouco de azeite (I Reis 17: 8-16)

Até ao Novo Testamento, onde assistimos à transformação de água em vinho (João 2: 1-11), à cura de  dez leprosos (Lucas 17:11-19), bem como da mulher que tinha um fluxo de sangue (Lucas 8:43-48), ou do cego de nascença (João 9:1-11),à ressurreição de Lázaro (João 11),  bem como da filha de Jairo (Lucas 8: 41-42, 49-56), à multiplicação dos pães, uma vez (Mateus 14:15-21) e ainda outra (Mateus 15:32-38), à libertação de endemoniados (Lucas 8: 27-33)

Com tantos e tão variados milagres, se tentássemos classificá-los e escolher o melhor, talvez, na nossa pequena humanidade, elegêssemos como mais poderoso, a ressurreição, uma vez que para nós, a morte é o maior dos inimigos (já diz o ditado que “para tudo há remédio, menos para a morte)”.

Quando queremos ir para um lugar, enveredamos por determinado caminho. E quando não sabemos o caminho, corremos o risco de nos enganar e ir parar onde não queremos.

O ser humano vive para além deste mundo terreno, e todos sabemos que todo o ser humano irá experienciar a morte física. Essa morte é algo assustador para a maioria, mas para o cristão, a morte deve de ser apenas a passagem, a porta, para outro tipo de vida, pois conforme o caminho que escolhe, ir ter uma Vida Eterna ou uma Morte Eterna.

Vida Eterna é uma continuidade de Vida plena após esta vida terrena. E quando falamos de Vida Eterna, falamos numa vida para sempre com o Deus Eterno (Aquele que não tem princípio nem fim). Como é isso possível, viver eternamente, com Deus?

Conhecer DEUS

Vivemos numa sociedade em que as pessoas crêem naquilo que lhes é incutido, pela cultura e tradição…. Crescem a pensar de acordo com o que lhes ensinaram, independentemente de estar certo ou errado, muitas vezes de acordo com a maioria. E o ser humano, quando toma pressupostos como verdades absolutas, tem sérias dificuldades em as destronar e ter outro olhar sobre as coisas. Assim, muitos falam de Deus como se O conhecessem, mas na verdade apenas ouviram falar acerca dEle. E, nem sempre o que ouvimos falar de alguém corresponde ao que essa pessoa realmente é. Verdadeiramente o Ser Humano só conhecerá Deus se se passar a relacionar com Ele. Em Marcos 7:6-8 lemos:” Este povo honra-me com os lábios, Mas o seu coração está longe de mim; Em vão, porém, me honram, Ensinando doutrinas que são mandamentos de homens. Porque, deixando o mandamento de Deus, retendes a tradição dos homens”.

Quem não ouviu já falar do “evangelho cor-de-rosa”, que propaga que quem tem Cristo na sua vida, nunca mais saberá o que são problemas? Um pouco como se se desse um passo de mágica, o tal tão contido na frase “Com Jesus, para nós, tudo é canja”? Pois, permitam que afirme, de modo muito franco, que se tratam de puras balelas, e que o próprio Jesus deixou claro que aqueles que resolvessem segui-lO teriam de estar preparados para enfrentar adversidades. Em Mateus 8:18-20 lemos: ”Então, um mestre da lei aproximou-se e disse: "Mestre, eu te seguirei por onde quer que fores". Jesus respondeu: "As raposas têm suas tocas e as aves do céu têm seus ninhos, mas o Filho do homem não tem onde repousar a cabeça". “ Bom, parece-me que alguém que não tem onde reclinar a cabeça, não é alguém para quem a vida é feita de facilidades e que promete que serão só facilidades para quem O segue! Se é isso que esperam e procuram ao seguir Jesus, esqueçam. E como diz um homem de Deus, meu amigo “ Amigo sou eu, que vos digo estas coisas”.