geral@igrejalighthouse.com
A factura é pesada!

Esta é a geração que menos conhece o Evangelho.

Nunca se produziu tantas bíblias, bem como aplicações digitais da bíblia nos dias actuais, no entanto, a ignorância acerca do Evangelho de Cristo, nunca foi tão forte como nestes dias actuais e a juntar a isso, muita malandrice e perversidade. A factura é pesada e já se faz sentir e muito.

A factura chama-se angustia, a angustia humana por promessas divinas “não cumpridas” aumenta a passos largos. Entre os católicos antigos e modernos, a angustia do devoto é vista da seguinte maneira: O devoto faz a promessa a Deus a fim de conseguir alguma coisa em troca, promete sacrifícios a Deus em troca do beneficio que tanto necessita. Já entre os “evangélicos protestantes” a angustia do devoto é julgar que é Deus que deve fazer cumprir a promessa que tanto espera e por isso, seguem todos os rituais, todas as campanhas, vive-se quase dentro da igreja 24h, na expectativa de obter o que tanto se deseja. Ambos os casos é o DESEJO do devoto que estabelece a promessa que tanto procura ver cumprida.

Durante décadas, venderam-nos ilusões que estão a produzir desilusões, estas, estão a causar danos irreparáveis nas mentes de muitos, as depressões e doenças da mente aumentam no seio dos cristãos, o medo reina no coração de muitos.

Não estamos a saber ser Igreja.

A marca que ficou no coração de muitos, é que igreja (congregação) é local onde vamos receber milagres e favores de Deus, benefícios de Deus, protecção de Deus, bênçãos de Deus, tudo o que fazemos, dentro da igreja é para que Deus nos ajude e beneficie com as suas promessas, principalmente aquelas, que nos dão protecção, prosperidade, saúde, casamento abençoado, filhos abençoados, alvos atingidos, sucesso no negócio, sucesso em tudo. Quem é que não deseja isto? É o "el Dourado, o sonho Americano". As doutrinas do Evangelho foram deliberadamente alteradas, pela mão do homem, para focar o povo nesse sentido, todos ficamos dependentes, desta droga doutrinária, os líderes não conseguem sair dela, porque sem ela não conseguem pagar os custos de toda estrutura que foi montada, as pessoas não conseguem sair dela, uns por medo, outras porque ainda buscam promessas por cumprir.

Em vez de arrependimento, também, deliberadamente estamos a melhorar o erro, dando-lhe uma outra face, criando ambientes atractivos para os jovens, surgem as igrejas estilo coaching, onde o eu é explorado: "eu sou forte, eu posso, eu consigo, eu, eu, eu"...as mensagens viraram mensagens de auto-ajuda, “tu és capaz”.

E assim, vai-se criando uma multiplicidade de igrejas, caso pregassem o Evangelho de Jesus Cristo seria muito bom, mas infelizmente, esta multiplicidade de igrejas servem para dar continuidade ás mesmas doutrinas de homens de sempre, apenas têm uma cara lavada, nova, jovial, autênticas produções de Hollywood, que prendem as pessoas nas mesmas expectativas: “Lá tudo é fixe, lá tu és amado, lá tu és respeitado, lá tu tens oportunidades, lá tu és bem tratado como família." No primeiro caso a pessoa está envolvida na busca de promessas que tanto deseja e que está pronta a fazer o que for necessário para as obter: "Se for preciso dizimar 3 vezes por mês, se for preciso sacrificar, vamos lá fazer..." No segundo caso a pessoa está envolvida numa produção de emoções que alimentam o ego. Frases compostas, frases encorajadoras: "somos uma família."

A Verdade é que o Evangelho de Jesus Cristo não é nada fixe e não gera expectativas. Gera certezas, gera apenas uma Esperança no por vir, gera fé que nos leva à Nova Jerusalém, gera mudança no interior do Homem para salvação do mesmo, gera metanóia, gera amor de Deus pelo próximo, gera generosidade, gera perdão de pecados. O Evangelho de Cristo divide, é espada que separa trigo do joio, separa os melhores amigos do homem. O Evangelho de Cristo deixa pai e mãe por amor ao Evangelho, mas que, também, receberá 100 vezes mais pais e mães. O Evangelho de Cristo trás sobre aquele que o crê tribulações e perseguições, é loucura e sentença de morte para muitos.

Ser igreja é ser Cristo, é Cristo em nós, é o pensar de Cristo no nosso pensar!

Quando olho para estas gerações, fico aflito, porque estão longe deste pensar. Não conhecem de modo nenhum o pensamento de Cristo. E isto gera um preço, um preço alto que infelizmente trará danos irreparáveis.

José Fidalgo

09/09/2020