geral@igrejalighthouse.com

Quem não ouviu já falar do “evangelho cor-de-rosa”, que propaga que quem tem Cristo na sua vida, nunca mais saberá o que são problemas? Um pouco como se se desse um passo de mágica, o tal tão contido na frase “Com Jesus, para nós, tudo é canja”? Pois, permitam que afirme, de modo muito franco, que se tratam de puras balelas, e que o próprio Jesus deixou claro que aqueles que resolvessem segui-lO teriam de estar preparados para enfrentar adversidades. Em Mateus 8:18-20 lemos: ”Então, um mestre da lei aproximou-se e disse: "Mestre, eu te seguirei por onde quer que fores". Jesus respondeu: "As raposas têm suas tocas e as aves do céu têm seus ninhos, mas o Filho do homem não tem onde repousar a cabeça". “ Bom, parece-me que alguém que não tem onde reclinar a cabeça, não é alguém para quem a vida é feita de facilidades e que promete que serão só facilidades para quem O segue! Se é isso que esperam e procuram ao seguir Jesus, esqueçam. E como diz um homem de Deus, meu amigo “ Amigo sou eu, que vos digo estas coisas”.

Alguns podem argumentar com Filipenses 4:13: ” Tudo posso naquele que me fortalece.”, ou noutras versões “Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece”. Mas, ao contrário das interpretações erróneas que defendem que esta frase faz dos cristãos uma espécie de gente com superpoderes, os quais afastam tudo o que é indesejável das suas vidas, na realidade o que esta frase pretende transmitir é algo absolutamente distinto. Vejamos o contexto, observando o versículo anterior (Vers. 12): “Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.” Pois bem, Paulo estava exatamente a dizer que sabia viver das duas formas: tendo tudo ou não tendo, e que a sua paz não residia nessas coisas. Então, ele colmata no Vers. 13, dizendo que, quando fortalecido em Cristo (e não na sua própria força), a tudo ele consegue resistir, mantendo a paz (uma outra tradução coloca da seguinte forma: “Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação (…) - esta expressão mostra que a alegria e a paz de Paulo não dependiam do que lhe era exterior).

A Bíblia está repleta de exemplos de homens de Deus que não viveram o tal “evangelho cor-de-rosa”. No Velho Testamento, no livro de Daniel, capitulo 6, é relatada a história de Daniel, o qual sendo fiel a Deus, e recusando-se a orar a outrem (no caso, ao rei), não deixou de ter de passar pela cova dos leões. Deus livrou-o, mas há uma grande diferença: Deus não o livrou da cova, livrando-o sim, na cova; ainda no livro de Daniel, no capítulo 3, está relatada a história de três homens que se recusaram a adorar uma estátua erguida: Sadraque, Mesaque e Abdnego. Relata a bíblia, nos vers 20-23: “E ordenou aos homens mais poderosos, que estavam no seu exército, que atassem a Sadraque, Mesaque e Abednego, para lançá-los na fornalha de fogo ardente. Então estes homens foram atados, vestidos com as suas capas, suas túnicas, e seus chapéus, e demais roupas, e foram lançados dentro da fornalha de fogo ardente. E, porque a palavra do rei era urgente, e a fornalha estava sobremaneira quente, a chama do fogo matou aqueles homens que carregaram a Sadraque, Mesaque, e Abednego. E estes três homens, Sadraque, Mesaque e Abednego, caíram atados dentro da fornalha de fogo ardente”. Percebemos, portanto, que estes homens não foram livres de entrar na  fornalha, mas se continuarmos a leitura percebemos que foram livres na fornalha, isto é, enquanto passavam por ela. E o vers. 28 diz-nos: “ (…) Bendito seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abednego, que enviou o seu anjo, e livrou os seus servos, que confiaram nele, pois violaram a palavra do rei, preferindo entregar os seus corpos, para que não servissem nem adorassem algum outro deus, senão o seu Deus.”  

A Palavra de Deus é realmente clara: no Salmo 34, vers 19, está escrito: “Muitas são as aflições do justo, mas de todas elas o Senhor o livra.” Não está escrito que o justo (chamado assim  por ser justificado pela fé, e não por seu mérito) não tem aflições, mas é afirmado até que são muitas. Todavia, também é afirmado que Deus o livra de todas! Isaías 43:2-3 diz: Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti.” Não diz que o que ama a Deus e é justo em Cristo, não passa por águas nem fogo. Diz sim, que quando passar, Deus estará com ele e o livrará.

Já no Novo Testamento, voltando a Mateus 8, nos vers. 24-25 lemos : “De repente, uma violenta tempestade abateu-se sobre o mar, de forma que as ondas inundavam o barco. Jesus, porém, dormia. Os discípulos foram acordá-lo, clamando: "Senhor, salva-nos! Vamos morrer! Vemos assim, que Jesus estava no barco com os discípulos, como hoje está no nosso barco, se o deixámos entrar (na nossa vida), mas ainda assim uma tempestade veio sobre esse barco. Quantos de nós não tiveram já tempestades na sua vida? E pior: esta não era uma tempestade qualquer. Era violenta, de tal modo que as ondas não apenas agitavam o barco, elas entravam nele. Eles eram os discípulos de Jesus, andavam com Ele no barco, mas ainda assim sofreram essa tempestade…Por vezes, ouvimos pessoas colocarem em dúvida o papel de Deus em suas vidas, quando “os seus barcos se agitam ou as águas começam a entrar neles”, mas percebemos aqui que o facto de se levantarem tempestades e até poderem trazer turbulência às nossas vidas, não invalida a presença de Deus nelas. Jesus estava no barco e independentemente da agitação das águas e ventos, Ele está no barco de todos os que são seus. Reparemos que, apesar da presença de Jesus, os discípulos temeram pelas suas vidas, e por isso gritaram para que Jesus os salvasse. Mas o que Jesus fez? Vers. 26) “ Ele perguntou: "Por que vocês estão com tanto medo, homens de pequena fé? " Então ele se levantou e repreendeu os ventos e o mar, e fez-se completa bonança.” Assim é nas nossas vidas: Jesus, estando no barco, espera de nós que contenhamos o medo tão humano e que, mantenhamos a fé, a qual se traduz em confiança inabalável nEle, (como dizia Paulo, manter a paz/alegria, independentemente das circunstâncias). Reparemos ainda no que Jesus disse em João 16:31: "Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! (…)". Jesus afirmou que no mundo haveria aflições mas que nEle, os discípulos teriam paz e não deveriam perder o ânimo. E em João 14:27, Ele explica que tipo de paz ele dá: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.” A paz que Jesus nos dá é uma paz divina, é a Sua paz, que não é igual à paz que o mundo conhece, pois essa depende de circunstâncias. A paz de Jesus instala-se no coração daquele que, pela fé, crê nEle.

Em todas as situações que observámos, Deus não abandonou os seus à sua sorte, entregues a si próprios. Não! Ele cumpriu a sua Palavra: livrá-los em todas as aflições. E fortaleceu-os de modo a que estivessem capacitados a passar por todas essas dificuldades. Por si, próprio, qualquer homem sucumbiria, mas nEle, certos da sua Palavra e Fidelidade, sabemos que seremos livres não de todas as más circunstâncias, mas em todas elas.

A força do cristão está em Deus, pois o cristão por si só, no seu mérito, fraqueja. Nenhum cristão tem superpoderes, mas é a força do Senhor que capacita o cristão e lhe dá a Sua paz.