geral@igrejalighthouse.com
Uma das características que mais me fascina no Pai celestial é a Sua misericórdia. Perante inúmeras qualidades que O caracterizam, a misericórdia é aquela que me permite ver com melhor clareza o Seu amor por toda a humanidade e desejar pôr em prática o evangelho de Cristo.

Segundo o dicionário, a palavra “misericórdia” assume as seguintes definições: 1) perdão, 2) compaixão, 3) comiseração, 4) pessoa sempre indulgente (disposta a) para com os defeitos de outrem. Esta última definição causa um grande impacto no meu coração, pois Deus, apesar de não concordar com o pecado, encontra-se, de braços abertos, determinado em nos perdoar. Inclusive, ainda antes da morte e ressurreição de Cristo, Deus já tinha perdoado os nossos pecados e provado o Seu amor perante o Homem. Efésios 2: 1 afirma exatamente isso: “E [Deus] vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados”.

A misericórdia de Deus é “nova a cada manhã” e é por sua causa que “não somos consumidos” (Lamentações 3:22-23). Este versículo fala da infinidade desta característica: é nova a cada manhã, no sentido em que é contínua no coração de Deus, sendo que Ele não impõe um limite para a mesma... Não é como o ser humano que vai acumulando experiências desagradáveis, até que chega o dia em que explode e não aguenta mais. Deus não é assim. Deus deseja, no Seu íntimo, ser misericordioso, pois faz parte da Sua natureza.

Desde o início da criação, conseguimos ler nas Escrituras e no Evangelho que Deus “já” era misericordioso. Não foi apenas depois de Cristo ter ressuscitado que a mensagem de amor e misericórdia começa a ser pregada, mas sim desde o início. Um grande exemplo no Velho Testamento é o livro de Juízes! Grande misericórdia que Deus teve perante o povo que continuamente O aborrecia. Mas quem poderá compreender este amor? Não há como conseguir entender... “limito-me” a seguir as palavras de Jesus: “bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia” (Mateus 5:7). Não digo que quero ser misericordioso apenas para alcançar a misericórdia, no sentido de ser um pedido egoísta, mas sim para ser parecido ao meu irmão Jesus Cristo, pois esse deve ser o nosso desejo enquanto seus discípulos.

Por fim, quero ressalvar a ideia central na minha reflexão: a misericórdia de Deus encontra-se expressa na sua natureza, é algo que Ele é, portanto nunca vai falhar, nunca vai deixar de exercer misericórdia sobre as nossas vidas, nunca vai deixar de nos perdoar, nunca nos vai deixar de nos amar. Tudo se converte ao Seu amor: eu vou exercer misericórdia porque Deus o faz comigo e porque Ele me amou primeiro. Não sou nada sem o seu amor! “(10) Não nos tratou segundo os nossos pecados, nem nos retribuiu segundo as nossas iniquidades. (11) Pois quanto o céu está elevado acima da terra, assim é grande a sua misericórdia para com os que o temem. (12) Quanto está longe o Oriente do Ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões” - Salmo 103:10- 12

Salomé Fidalgo

08/08/2020